Pesquise em todo o Portal Bom Jardim

sábado, 7 de setembro de 2019

Desfile de 7 de setembro: programação 2019

Às 15 horas, hasteamento das bandeiras em frente à rodoviária, ao som das bandas União Ribeironense e Recreio Bonjardinense.

Às 16 horas, início do desfile cívico, obedecendo à seguinte ordem de apresentação :


1. Banda de Música- Sociedade Musical União Ribeironense
2. Banda de Música - Sociedade Musical Recreio Bonjardinense
3. Grupo da 3ª Idade
4. Banda de Tambores do CIEP 322
5. E. Mz. Edmo Benedicto Corrêa
6. E.Mz. José Luiz Erthal
7. E. Mz. Washington Emerich
8. E. Mz. Leopoldo Erthal
9. E.Mz. Joana Cantanheda Monnerat
10. E.M. São José
11. E. Mz. Vargem Alta
12. E.M. Cely Veloso de Souza
13. C.E.M. Amanda Farias Almeida
14. E.M. Antônio Gomes de Azevedo
15. E. M. Professora Iracy Monnerat de Lemos
16. E. Mz. César Monteiro
17. Creche M. Maria José Calvão Lobosco
18. Creche M. Darcília Vieira Jasmim
19. C.E.Infantil Viviane Verly Pereira
20. E. M. Armando Jorge Pereira de Lemos
21. E. M. Professor Clirton Rêgo Cabral
22. Pelotão Secretaria Municipal de Educação
23. EIDUC
24. Colégio Santo Agostinho
25. Instituto Progredir de Educação  
26. CEUC
27. CPM
28. Associação de São José
29. Associação Ponte berçot
30. Apresentação da Banda do CIEP 322
31. Ginástica Olímpica do EIDUC
32. Apresentação Alunos Flautistas do CSA

33. Apresentação de dança da Escola CEUC

domingo, 25 de agosto de 2019

Galpão Cultural: breve histórico

No início do século XX, o dr. Alfredo Moreira Filho era recebido na então vila de Bom Jardim pelo Cel. Luís Correa da Rocha Sobrinho. Escreveu o dr. Alfredo, em um relato, as seguintes palavras:
"... tive a enorme satisfação de abraçar meu antigo discípulo Luís Correa da Rocha Sobrinho, que obrigou-me a deixar o hotel e ofereceu-me em sua casa a mais fidalga hospedagem. A poética vivenda desse meu amigo fica ao lado de uma importante usina de beneficiar café (...) Dispõe de catadores, burnidores, descascadores e separadores, todos movidos por um motor hidráulico da força de 16 cavalos. Possui ainda uma montagem para torração de café, com os aparelhos mais modernos, que permitem a produção de 80 arrobas diárias. (...) é iluminada a gás acetyleno, cujos aparelhos foram fabricados na usina pelo seu proprietário".
          Retirado do livro “Bom Jardim - Esboço Histórico e Corográfico”, do historiador Manoel Erthal.

O espaço do atual Galpão Cultural Margaret de Jesus era administrado pelo Cel. Luís Correa, um dos articuladores da criação do município. A usina passaria então para seu filho, dr. Péricles Correa da Rocha, primeiro prefeito eleito de Bom Jardim.

Na função de beneficiar café, a usina funcionou por quase setenta anos. Desativada por longos anos, foi adquirida pela Prefeitura Municipal, servindo para várias atividades, até finalmente, vir a transformar-se no atual espaço de produção cultural e preservação da memória.



Fonte: adaptado da página do Facebook do Museu Professor Clirton Rêgo Cabral

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019

Adormecido, mas não morto

O Portal Bom Jardim, sem apoio humano ou financeiro de quem quer que seja e fazendo apenas publicações esporádicas, continua com considerável número de leitores. E ainda é importante fonte de pesquisa sobre Bom Jardim, com uma média de duas mil visitas/mês.

A estatística a seguir, fornecida pela plataforma onde está hospedada nossa página, mostra alguns detalhes. Ela é de 22 de fevereiro de 2019. Observe:


sexta-feira, 4 de janeiro de 2019

Propaganda de Bom Jardim na TV, em 1991

Zoológico, clube, trilheiros, banda de música de São José do Ribeirão e propagando de show de humor são destaques do vídeo produzido para a TV.


sábado, 10 de novembro de 2018

Fábrica de Caramelos Busi

Sob a razão social de Caramelos de luxo Busi S/A, foi criada, através de Assembleia Constitutiva no dia 10 de dezembro de 1945, conforme publicação no Diário Oficial da União, Pág. 34. Seção 1. de 24 de Dezembro de 1945.

Veja abaixo um trecho da publicação:
"Aos dez dias do mês de dezembro de mil, novecentos e quarenta e cinco, reunidos, em primeira convocação, à Rua Senador Pompeu n.° 160, nesta cidade do Rio de Janeiro, subscritores do capital da sociedade "Caramelo de Luxo Busi S. A." que representavam a totalidade do mesmo capital, como se verificou de suas assinaturas na lista de presença, conferida es , com o boletim de subscrição, assumiu a presidência dos trabalhos, por aclamação, o fundador Dr. Pericles Corrêa da Rocha, que para secretário, convidou o subscritor Sr. Alberico da Silva Ether. "
Fonte: Blog Fotos de Bom Jardim RJ


Uma publicação oficial de 1934 concede à Fábrica de Caramelos Busi o direito de explorar a energia hidráulica de uma cachoeira em São José do Ribeirão para fornecer energia elétrica para o empreendimento. Veja a seguir a íntegra da publicação:
PRESIDENTE DA REPÚBLICA, usando da atribuição que lhe confere o artigo 87, inciso I, da Constituição e nos têrmos do art. 150 do Código de Águas (Decreto nº 24.643, de 10 de julho de 1934), decreta: 
Art. 1º. Respeitados os direitos de terceiros, é outorgada a Caramelos de Luxo Busi S. A., concessão para o aproveitamento de energia hidráulica da cachoeira de São José, no ribeirão de igual nome, município de Bom Jardim, Estado do Rio de Janeiro.
Vila de casas dos operários da fábrica Busi.
No Blog Fotos de Bom Jardim RJ , no dia 5 de agosto de 2018, foi publicado um curioso comentário acerca dos Caramelos Busi:

El Museo Gabriela Mistral en Vicuña, Chile, tiene en su colección un frasco de Caramelos de Luxo BUSI - Río.
Numa tradução livre, seria: O Museu Gabriela Mistral, em Vicuña, Chile, tem em sua coleção um frasco de "Caramelos de Luxo BUSI - Río".

domingo, 18 de junho de 2017

Documentário sobre a história de Bom Jardim na Luau TV

A historiadora Janaína Botelho produziu um documentário sobre a história de Bom Jardim para a Luau TV, de Nova Friburgo.
Dividido em 4 partes, o documentário foi publicado na internet no dia 11 de junho de 2017, mas as imagens e entrevista foram realizados no 2° semestre de 2015.
Veja no link da TV:
http://luautv.com.br/programa/por-dentro-da-historia
Ou direto no Youtube:

terça-feira, 13 de junho de 2017

SEBRAE abre inscrições para edital "Sebrae Moda Sustentável"


Sebrae/RJ lança edital de seleção para micro e pequenas empresas do setor de Moda participarem de projeto de desenvolvimento de práticas sustentáveis


A iniciativa chamada de ‘Sebrae Moda Sustentável’ é inteiramente gratuita, terá duração de 15 meses e visa aumentar competitividade e inovação dos pequenos negócios fluminense

Até o dia 26 de junho, micro e pequenas empresas do setor de Moda de todo estado do Rio de janeiro, incluindo os segmentos de vestuário, acessórios em couro, calçados, bijuterias e joias, terão a oportunidade de participar do edital de seleção para participação no projeto “Sebrae Moda Sustentável”, cujo objetivo é aumentar a competitividade e a inovação dos pequenos negócios de Moda fluminense. As inscrições já estão abertas, podem ser feitas pela internet gratuitamente e, para aderir ao programa, basta os interessados acessarem o regulamento e preencher o formulário que estão disponíveis em http://bit.ly/edital_moda.

As empresas selecionadas para o “Sebrae Moda Sustentável” participarão de uma série de atividades durante 15 meses (entre julho de 2017 e setembro de 2018), a maioria gratuitas ou amplamente subsidiadas pelo Sebrae/RJ. Neste período, os empresários terão acesso a consultorias, capacitação e informação, tecnologia e inovação, aproximação com investidores, oportunidades de negócios, otimização de processos produtivos e novos clientes. 

Segundo a coordenadora de Moda do Sebrae/RJ, Fabiana Pereira Leite, o sucesso dos negócios relacionados a este setor sempre esteve diretamente relacionado no comportamento do consumidor e justamente por isso, os empresários da Moda têm que estar cada vez mais atentos às tendências, inovações e mudanças que possam surgir no mercado, como é o caso de questões relacionadas à sustentabilidade, assunto que recebe destaque na sociedade de hoje. “O consumidor está muito mais engajado e deseja usar produtos de moda que reflitam a sua maneira de pensar e o seu envolvimento com determinadas causas. Marcas de moda com um posicionamento mais consciente e atuante em relação a temas, como sustentabilidade e crises sociais têm mais chances de alavancar fundos junto a investidores, que injetam recursos em modelos de negócio que tragam algum tipo de retorno para a sociedade ou impactam positivamente o ambiente em que estão”, ressalta.

Assim como Fabiana, a empresária Vanessa Wagner, da Zóia, acredita que o tema sustentabilidade é de fundamental discussão nos dias atuais. Há dez anos no mercado, a empresa trabalha com diversos materiais e seu portfólio de produtos inclui embalagens de alumínio, tetrapak, papelão, chapas de raio X recicladas, entre outros. “Somos pioneiros no segmento de acessórios quando o assunto é sustentabilidade. É parte dos nossos valores e princípios; é o DNA da empresa. Acredito que todo produto deve ter um conceito e um propósito ligado à marca. O mercado mudou e inovar não é mais uma questão de marketing. A sustentabilidade veio para ficar e certamente é a sexta onda da inovação”, destaca.

Motivações para o projeto

O projeto “Sebrae Moda Sustentável” foi elaborado a partir de um levantamento com micro e pequenas empresas fluminenses do setor de Moda. 

Realizado em janeiro deste ano, os dados confirmaram que apesar de se dizerem sustentáveis e adotarem algumas medidas relacionadas à sustentabilidade, as empresas pesquisadas (total de 62) ainda possuem um longo caminho a trilhar no que se refere a mudanças consistentes e relevantes para o desenvolvimento sustentável, como: controle completo da cadeia de fornecedores, destinação e tratamento de resíduos, entre outras ações. 

Entre as empresas participantes, 86% se reconheceram como sustentáveis, 9% admitiram não estarem alinhadas aos pilares da sustentabilidade e 5% não souberam informar seu posicionamento. 

De acordo com o levantamento, 61% dos negócios pesquisados são microempreendedores individuais (MEI). Como são pequenos, em geral, participam de feiras e eventos de Moda para tornar suas marcas mais conhecidas. 

As empresas atuam tanto no varejo quanto no atacado (53%). Menos de 20% tem ponto de venda físico e a internet é o meio mais utilizado para a divulgação de seus produtos (98%). 

A maioria dos empresários (31%) está na faixa dos 25 a 30 anos de idade, 76% são do sexo feminino e 43% possuem ensino superior completo.

Sobre a localização das empresas, 24% estão na zona Norte, sendo o bairro de São Cristóvão o local mais citado - zona Sul (22%), Niterói (16%), zona Oeste (10%), a maioria da Barra da Tijuca e 10% estão nos municípios da Região Serrana: Nova Friburgo, Petrópolis e Teresópolis. 

Com relação ao segmento de atuação, 59% trabalham com vestuário, 27% estão no ramo de acessórios e 28% com joias e bijuterias. O setor de calçados representa 12% das operações no universo das empresas sustentáveis pesquisadas.

sábado, 10 de junho de 2017

Municípios da Região Serrana se destacam em desburocratização para pequenos empresários

Municípios da Região Serrana do Rio tornam-se referência nacional na desburocratização de abertura de empresas e emissão de alvarás online.

Nove municípios da Região Serrana, através de uma ação pioneira no país, tornaram-se destaque nacional no cumprimento das exigências da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa (Lei Complementar nº 123/06) em relação à desburocratização, pela emissão de alvarás online. Entre eles estão Cachoeiras de Macacu, Carmo, Cantagalo, Bom Jardim, Nova Friburgo, Macuco, Cordeiro, Duas Barras e Santa Maria Madalena.

Essa ação pioneira é fruto da formação da primeira e mais ativa Rede de Agentes de Desenvolvimento (ADs) do Brasil, cujas ações contínuas e integradas têm contribuído significativamente para o fortalecimento das atividades empreendedoras e desenvolvimento econômico nos municípios já citados, além de Sumidouro e Trajano de Moraes.

De acordo com Fernanda Gripp, coordenadora do Escritório Regional Serrana I do Sebrae/RJ, responsável pelas ações promovidas nos 12 municípios da região, o objetivo da entidade, juntamente com a Rede de ADs local, é fazer com que até o final deste ano todas as cidades em sua área de abrangência estejam aptas a cumprir o que determina a Lei Geral quanto a desburocratização (através da emissão do alvará on-line) e compras públicas (por meio das licitações que preveem condições favoráveis e/ou de exclusividade para os Pequenos Negócios).

Segundo Fernanda Gripp, até o final de junho, Sumidouro e Trajano de Moraes, que já fazem parte da Rede de ADs, também passarão a emitir alvarás online, subindo para 11 o número de cidades que aderiram às ações de desburocratização nos processos de abertura das empresas.

Ela acrescenta que até dezembro a intenção é fazer com que São Sebastião do Alto também integre a Rede de ADs e emita alvará em formato digital, fazendo com que 100% dos municípios sob a responsabilidade da Regional Serrana I do Sebrae/RJ estejam adequadas às exigências da legislação em vigor, o que seria algo inédito no país. “Desde 2008, o Sebrae/RJ, através do seu setor de Políticas Públicas, vem implementando uma série iniciativas incluindo programas, consultorias, capacitações e dando suporte técnico para que os 12 municípios de nossa região estejam prontos a cumprir o que determina a Lei Geral da Micro e Pequena Empresa quanto à desburocratização e compras públicas. Com essas ações, estamos promovendo um ambiente cada vez mais favorável ao empreendedorismo e focando nossos esforços em contribuir na geração de empregos e melhor distribuição de renda, promovendo o desenvolvimento econômico e social em nossa região”, explica.

Porque a Rede de ADs é tão importante

De acordo com Jorge Braz, coordenador da Rede de Agentes de Desenvolvimento que completou dois anos no dia 13 de maio, a ideia de criar o grupo de trabalho surgiu da necessidade dos municípios se unirem em favor de um objetivo comum. “Com a necessidade de se fazer cumprir as determinações da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa nas cidades, buscamos nos organizar de modo a desempenhar nossas funções de maneira coordenada. Devo destacar que para termos eficácia e sucesso em nosso desempenho durante todo esse tempo, tivemos o suporte de parceiros importantes como a Jucerja e o Sebrae, mas o mais relevante é o empenho, comprometimento e seriedade com que todos os agentes de desenvolvimento encararam seu papel. Por isso estamos há tanto tempo juntos e obtendo resultados tão positivos para o desenvolvimento econômico de nossa região”, destaca.

Para Juliana Lohman, analista de Políticas Públicas do Sebrae/RJ, os municípios da Região Serrana - considerando Nova Friburgo e cidades do seu entorno - são uma referência nacional e merecem destaque quanto à promoção de inciativas em prol da aplicação da Lei Geral. “Dos 92 municípios fluminenses, 70 já estão integrados à Redesimples (ou Redesim – sistema que simplifica a entrada, abertura e licenciamento de empresas), no entanto, na Região Serrana (Nova Friburgo e entorno), há um trabalho de parceria da Rede de Agentes de Desenvolvimento e Sebrae/RJ muito consistente e com maior duração nacional, não só porque é a rede mais antiga do país, mas também porque ela ainda se mantém plenamente ativa, enquanto outras Redes de ADs que foram criadas depois, já se dissolveram, ou não mantém ações com tamanha regularidade. Há de se considerar que a persistência e o compromisso dos agentes têm sido de suma importância para que a desburocratização prevista na Lei Geral, através da implementação da emissão dos alvarás online, seja uma realidade quase plena nessa região em especial”, destaca.

Segundo Clarissa Perna, que também é analista de Políticas Públicas do Sebrae/RJ, a Rede de Agentes de Desenvolvimento veio para solucionar um dos maiores gargalos entre as Administrações Públicas locais: a falta de comunicação: “Percebemos que apesar de terem necessidades e interesses afins, as gestões municipais, mesmo sendo vizinhas, não se comunicavam. Isso dificultava o desenvolvimento individual e regional. Com a necessidade de se fazer cumprir as determinações da Lei Geral, verificamos que essa falta de comunicação era um dos gargalos do seu processo de sua implantação. A partir do momento em que a Rede de ADs foi criada e conduzida sem interrupções, foram traçadas metas e objetivos que, sem a união dos agentes e seus municípios, talvez não fossem possíveis de ser alcançados”, ressalta.  

O próximo encontro da Rede de Agentes de Desenvolvimento da Região Serrana I acontecerá no dia 30 de junho, em Nova Friburgo, no Hotel Bucsky. Na ocasião serão realizadas palestras, capacitações, apresentação dos dados de como está a situação de cada município em relação à desburocratização e respeito às regras das compras públicas.
 
O que são os ADs

Os agentes de desenvolvimento (ADs) são servidores públicos municipais cuja função está prevista na LC nº 123/06 e que tem como premissa fazer com que os requisitos relativos à desburocratização e compras governamentais previstos na legislação sejam praticados pela Administração Pública, a fim de promover condições ideais que estimulem o empreendedorismo e possibilitem o crescimento econômico e social de sua região.

Para tanto, os ADs utilizam uma ferramenta informatizada conhecida como Regin (Sistema de Registro Integrado), disponibilizada pela Junta Comercial do Estado do Rio de janeiro (Jucerja), que possibilita que todos os órgãos públicos envolvidos no registro de empresas atuem de forma padronizada e interligada, possibilitando que todo o processo de abertura e alteração de empresas seja feito online, sem a utilização de papel, em um prazo consideravelmente menor, facilitando a vida do empresário e estimulando as atividades empreendedoras locais.   

Números

De acordo com levantamento internacional do Doing Bussiness 2017, que está em sua 14ª edição e apresenta indicadores quantitativos sobre regulamentações de negócios que compara 189 economias mundiais, o Brasil ocupa a 175ª colocação na abertura de empresas e a 123ª colocação em relação à facilidade para fazer negócios, ficando, em ambos quesitos, atrás de países como Uzbesquistão, Ruanda, Uganda e Namíbia, por exemplo.

Segundo a pesquisa, entre os dez países da América do Sul, o Brasil ocupa apenas o 8º lugar quanto a abertura de empresas e facilidade na abertura de negócios, ficando à frente somente de Bolívia e Venezuela.  

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Corpo é encontrado em córrego em Bom Jardim

Um corpo em avançado estado de decomposição foi encontrado na manhã desta quinta-feira (8 de junho) dentro do córrego Jaracatiá, em São José do Ribeirão. Informações iniciais da  Polícia Militar dão conta de que seria de um homem.

Foto do Facebook.
O corpo foi removido para o Instituto Médico Legal de Nova Friburgo, onde serão realizados exames para tentar identificar a vítima.

Não há informações sobre a causa da morte. O caso será investigado pela 158ª Delegacia de Polícia.

Biblioteca disponibiliza novos títulos

A Biblioteca Pública Municipal João XXIII tem recebido novos títulos por meio de doações oficiais e de particulares. Se você é apreciador de literatura ou de livros sobre temas diversos, faça uma visita.


A biblioteca tem também um cantinho especial para os pequeninos.


A biblioteca fica na rua Mozart Serpa de Carvalho, 190, centro da cidade (antiga Rua Nova, ao lado da quadra de esportes - Casa da Cultura Mário Machado Nicoliello). Telefone 2566-6323.

Oficina gratuita para MEIs: "Sei Planejar"

Oficina gratuita de Planejamento para microempreendedores individuais está com inscrições abertas em Nova Friburgo 

No dia 09 de junho (sexta-feira), a partir das 18h30, o Sebrae/RJ estará realizando, gratuitamente, na sede de seu escritório Regional, em Nova Friburgo, a Oficina “SEI Planejar”, iniciativa voltada para microempreendedores individuais que pretendem adquirir conhecimentos e capacitação sobre a importância do planejamento para a melhoria dos resultados de uma empresa, tornando-a mais produtiva e lucrativa. As inscrições já estão abertas e o número de vagas é limitado.

A oficina proporciona aos participantes conceitos do que é o Planejamento, para que serve, quando se deve planejar e como planejar para obter resultados e cumprir metas com eficácia. Além disso, apresenta ferramentas e a visão sistêmica proporcionada por um bom planejamento enquanto processo dinâmico e contínuo.

Para mais informações, ou para realizar a inscrição, basta ligar para (22) 2523-6908, ou ir até a sede do Escritório regional Serrana I do Sebrae/RJ, que fica na Rua Fernando Bizzotto, nº 72 – Centro / Nova Friburgo.


Programa de estruturação de empresas

Vale lembrar que o Sebrae/RJ e a Acianf estão oferecendo gratuitamente kits de identidade visual para microempreendedores em seu programa de estruturação empresarial e, para tanto, basta que os mesmos cumpram três quesitos:

- Participar, ou já ter participado, de pelo menos quatro Oficinas SEI que estão sendo realizadas gratuitamente pelo Sebrae/RJ, a partir do dia 08 de maio;

- Ser associado da Acianf;

- Ter dado entrada no alvará de funcionamento de seu negócio.

Ao todo, serão 20 kits entregues aos microempreendedores individuais, contendo: a criação de um logotipo, a elaboração e doação de cem cartões de visitas e a divulgação no site de currículos e no facebook da Acianf.

As informações sobre o programa também podem ser obtidos no Sebrae/RJ no telefone: (22) 2523-6908.